Curta nossa página no Facebook

Receba notícias e dicas diárias do Melhor a Cada Dia.

Vídeos inspiradores

Motive-se com exemplos de superação, sucesso, bondade e altruísmo.

Epidemia de homicídios em Goiânia e o aumento da violência no Brasil


A “recente” onda de homicídios em Goiânia-GO nos leva a questionar o rumo que está tomando nossa segurança pública e também as causas e as possíveis soluções para tratar a questão da violência. Para se ter uma ideia da gravidade de nosso problema, vamos comparar duas cidades aparentemente com características semelhantes: Goiânia (Brasil) e Córdoba (Argentina).  As duas cidades têm praticamente o mesmo número de habitantes (segundo o Censo de 2010: Córdoba com 1.330.023 e Goiânia com 1.301.892 habitantes), são capitais de Estados da Federação (na Argentina são Províncias), e estão localizadas em países ditos “em desenvolvimento”.  Goiânia registrou no ano de 2013 – esse cálculo é anual, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) – taxa de 44,56 homicídios por 100 mil habitantes. No mesmo período Córdoba registrou 6,9 homicídios por 100 mil habitantes, taxa superior à média Argentina que é de 5,5. Levando em consideração que a OMS considera dentro da normalidade a taxa de 10 mortes por 100 mil habitantes, estamos vivendo uma epidemia de mortes em Goiânia.  Nem trouxemos nesta postagem índices de cidades localizadas em países desenvolvidos, pois a diferença é astronômica.  Isto no leva a questionar sobre qual a origem de toda esta violência no Brasil, especialmente na capital do Estado de Goiás.

Parte disto é culpa do governo, que não investe o suficiente na contratação de policiais, melhoria das condições de trabalho e integração da inteligência policial. Interessante que o Estado de Goiás, foi considerado pelo TCU como o segundo estado que mais investiu em Segurança Pública no País em 2013, e mesmo assim o investimento não gerou resultados positivos, conforme demonstram os índices alarmantes: Goiás possui um déficit de mais de 5 mil vagas no sistema prisional e déficit de 18 mil policiais militares, além de problemas com infraestrutura e condições de trabalho de policiais. Isto reflete no aumento do número de assassinatos, que chegaram em 2.576 no estado de Goiás em 2013, destes 621 ocorreram na capital Goiânia.  Isso não é um problema que deva ser analisado somente com base no ano de 2013. Foi publicado matéria, no final de 2012, pelo jornal O Popular que indicava a queda de 79,76% entre 2007 e 2011 nos investimentos na área de Segurança Pública em Goiás. Não é de se estranhar que apesar do fato de Goiás ter sido o segundo Estado que mais investiu nesta área em 2013, que os índices de violência ainda continuassem diferentes do esperado. Para solucionar de fato o problema da Segurança Pública, faz-se necessária uma política de investimentos maciços e de longo prazo nesta área, e não de investimentos ‘oportunistas’ às vésperas do ano eleitoral, visando mascarar um grande problema ao invés de resolvê-lo de fato. 

Por outro lado existe a falência do sistema judiciário brasileiro, cujas leis penais são constatadamente ineficazes.  De quê adianta uma polícia bem preparada pegar os bandidos para serem soltos pela justiça logo de imediato?  Precisamos de uma reforma urgente em nosso código penal Brasileiro, e quem pode fazer isto, pasmem os desavisados, não é o sistema judiciário mas o Poder Legislativo, composto por nossos ilustres Deputados e Senadores. Mas porque não fazem esta reforma? Talvez porque estão muito ocupados com leis que dão mais direito às “crianças e adolescentes” infratores, ou aos bandidos vítimas de justiceiros, ou para as legiões de homossexuais que alegam serem mortas por uma sociedade “homofóbica” (o número de crianças, mulheres e pais de família que morrem vítimas de violência é muito mais expressivo!), ou para projetos de interesse econômico para grandes empresários e/ou parceiros políticos. Discussões como Reforma Tributária, Política e Penal só ficam no discurso eleitoreiro, e quem sai perdendo é o povo que continua, com breves exceções, na mesma vida alienada de sempre.  Com isto tornamo-nos um país onde bandidos têm direitos demais e cidadãos de bem tem deveres demais e direitos de menos.

Uma terceira causa da violência que vivemos, e não menos importante, é a decadência dos valores morais e éticos de nossa sociedade. Enquanto valores tais como liberdade e direitos individuais estão na “crista da onda”, outros como respeito e deveres estão em declínio.  Talvez como uma medida oposta à ditadura, a Constituição de 1988 se preocupou muito com os direitos do indivíduo, esquecendo-se da preservação dos interesses coletivos, ou da sociedade. Exemplo disso é esta política de defender interesses de minorias sobrepondo os interesses das maiorias. Isto acaba tornando-se uma antítese à dita democracia, onde a opinião da maioria deveria prevalecer.  Neste cenário, comportamentos considerados antissociais, antiéticos, ou antimorais pela maioria são incentivados como forma de proteger os interesses desses pequenos grupos. Isso deu origem a uma pluralidade de privilégios, valores e ideais sem precedentes, e muitos deles com efeitos negativos à maioria da população. Ao privilegiar excessivamente direitos de minorias tirou-se o foco de questões maiores tais como os problemas com educação, saúde e segurança pública.

Além desta valorização dos direitos dos indivíduos em detrimento dos direitos da sociedade, temos também a proliferação de valores pseudo-científicos que se opõem à valores e conceitos centenários que são fundamentais para vivermos em sociedade. Estes valores psedo-científicos foram adotados pelo governo e pela mídia de tal forma que quem se opõe a estas ideias é reprimido, o que se configura, na opinião de alguns, como ditadura de opinião, em que você tem liberdade de se expressar, desde que sua opinião seja igual à minha. A decadência de valores morais e religiosos nos quais historicamente nos baseamos como sociedade, provocou inúmeros efeitos colaterais tais como: o enfraquecimento da instituição família, o aumento do consumo e tráfico de drogas e da prostituição, o dano aos patrimônios públicos, o desrespeito às autoridades (pais, professores, polícias, etc.), a desvalorização da vida, dentre outras.

Diante deste cenário pessimista, o cidadão de bem tem se tornado vítima da violência, vivendo constantemente preso pelo medo. E com razão, como se arriscar diante de índices tão alarmantes de violência? O que fazer diante desta questão? Deveríamos nos focar em como tratar as causas que provocam esta violência no Brasil. Mais investimentos em Segurança Pública, leis mais justas e valores éticos baseados na preservação da família e do bem coletivo, isto sim poderia nos ajudar a ser um dos países com menor índice de violência, e melhor qualidade de vida do mundo.

Referências:
http://www.aredacao.com.br/noticias/44720/tcu-goias-e-o-2-estado-que-mais-investiu-em-seguranca-publica-em-2013
http://www.goianiabr.com.br/2010/12/populacao-goiana-cresce-acima-da-media.html
http://sindepol.com.br/site/noticias/os-recordes-da-violencia-em-goiania.html
http://www.lavoz.com.ar/sucesos/asesinatos-el-peor-enero-en-seis-anos
http://www.oanapolis.com.br/v4/seria-goias-o-estado-que-mais-investiu-em-seguranca-publica/
http://www.ohoje.com.br/noticia/10441/deficit-de-policiais-em-goias-chega-a-18-mil
http://g1.globo.com/goias/noticia/2014/01/numero-de-homicidios-em-goias-aumenta-6-em-um-ano-diz-ssp.html
http://diariodegoias.com.br/blogs/altair-tavares/1344-o-popular-mostra-a-origem-do-sucateamento-da-seguranca-publica-de-goias

De vítima à protagonista de sua história


Por David Prado

Viver nos dias de hoje está cada vez mais difícil. São tantos os desafios e obstáculos que acabam nos desmotivando a alcançar nossos planos e sonhos. Com o tempo deixamos de viver realmente, passando apenas para um estágio de vontade de viver.

O que seria este estágio? Seria um estilo superficial de vida, no qual desejamos muitas e muitas coisas, mas não alcançamos quase nenhuma delas. Mas por que isso acontece? Isso acontece porque deixamos de acreditar em nosso real potencial. Damos ouvidos e absorvemos tudo o que é de ruim, criando e “alimentando” uma estrutura psíquica fraca e amedrontada. Ao fazermos isso damos lugar ao desânimo e medo que invadem o mais íntimo de nosso ser, e isto impede que façamos o que é necessário. Ao fazermos isto, deixamos de conquistar nossos sonhos mais legítimos.

Felizmente existem pessoas que conseguem romper esse padrão. Enquanto diziam que era impossível carregar objetos extremamente pesados foram lá e inventaram a roda, que não se podia voar foram lá e voaram! O caminho destas pessoas tem um traço bem peculiar: elas pensaram (e acreditaram) em algo diferente do padrão, e por isso fizeram história.

Cada ser humano é uma raridade que possui as mais diversas qualidades, capazes de impactar não apenas a si próprio, mas todo o seu universo. É imprescindível que acreditemos em nosso real potencial e comecemos a construir uma nova estrutura de pensamento onde obstáculos e desafios são apenas escadas para o crescimento, e não instrumentos de desânimo e desmotivação.

Saia hoje mesmo deste padrão de pensamento derrotista, de vítima, viva verdadeiramente e desperte o vencedor que vive dentro de você, tornando-se assim o protagonista de sua história.

Como estabelecer metas claras e ser mais focado

Muito se fala sobre foco. Mas afinal, o que é foco? Uma das definições é que foco é estabelecer metas claras, escritas e específicas.  Nesta postagem, abordaremos a importância, as técnicas e os benefícios das metas para uma vida focada.

Mas o que seria meta?  Meta é diferente de desejo, pois diferente deste, ela pode ser descrita com rapidez e facilidade para qualquer pessoa, pode ser mensurada e quem a estipulou é capaz de saber se a alcançou ou não.

Muitas pessoas não estabelecem metas pois ou não sabem da importância das metas e/ou porque tem medo do fracasso de não alcançar as metas e/ou porque não sabem como fazer. Veremos a seguir como você pode vencer estas limitações, caso as tenha.

Para os que não sabem fazer, existe um critério chamado de SMART, no qual se deve basear ao estabelecer metas. De acordo com este critério uma meta deve ser:

SPECIFIC: (específica) as metas devem ser claras, objetivas e detalhadas, evitando má interpretação.
MENSURABLE: (mensurável) as metas devem possibilitar uma forma de medição.
ACHIEVABLE: (realizável) as metas devem ser razoáveis e viáveis.
RELEVANT: (relevantes) a meta deve ser relevante para o trabalho, devendo contribuir para a meta ou para a missão da unidade de trabalho.
TIME BASED: (oportuna) a meta deve incluir cronogramas específicos e prazos finais

Imagem: http://www.felipeguedes.com/ 

As metas estabelecidas com base neste critério tornam-se mais eficientes, pois deixam de ser algo vago, distante, para algo mais palpável, capaz de motivar aquele que as estabeleceu.

Já para você que duvida da importância das metas, deveria saber que as metas ativam sua mente positiva, liberando ideias e energia para a consecução dos seus propósitos. Sem o estabelecimento de metas, você simplesmente vai sendo levado pelas correntes da vida. Tendo metas em vista, serás capaz de voar como uma flecha, veloz e focado em seu alvo.

Outro motivo para estabelecer metas baseia-se no Princípio de Pareto, que afirma que para muitos fenômenos, 80% das consequências advêm de 20% das causas. Sabendo disto ao invés de usar sua inteligência para ficar fazendo malabarismos com o tempo e conseguir realizar um número maior de tarefas, seria mais interessante estabelecer metas que o possibilitariam a executar um número menor de tarefas, mas que sejam de maior valor, que produzam mais resultados. Fazendo isto você reduziria o desperdício de esforços e seria alguém mais eficaz em suas ações.


Por fim, há a questão do medo de não alcançar as metas. O medo de uma forma geral atua como um paralisante ou como um estímulo à fuga do objeto do medo. Ele é positivo se ajuda a livrar dos perigos reais, mas é negativo se é baseado em perigos imaginários, frutos de uma mente covarde e temerosa. Este medo negativo é capaz de impedir que a pessoa aja rumo às suas conquistas. Aqueles que são reféns deste tipo de medo não conseguem nada na vida, pois sempre ficam paralisadas diante das circunstâncias e oportunidades. Ao não estabelecer metas por puro medo de não alcança-las você assumirá o risco de passar a vida sem grandes conquistas, uma história medíocre de quem não teve coragem de arriscar.

Saiba que, uma vez que tenha assumido total responsabilidade por sua vida e por tudo o que lhe acontece, criado uma imagem ideal de seu futuro perfeito e definido com clareza seus valores, estarás pronto para começar a estabelecer metas claras e específicas em cada área de sua vida. Fazendo isto você terá mais motivação que o levará a uma vida de maiores realizações, logrando êxito na tão sonhada satisfação pessoal e profissional.

10 dicas de como escapar de assaltos e sequestros relâmpagos


Vivenciamos uma onda de violência sem precedentes, mas como em todas as coisas podemos ter uma pitada de esperança e de soluções criativas, trazemos nesta postagem dicas de como escapar de duas situações bem comuns hoje em dia: assaltos e sequestros. Confira as dicas e histórias reais de pessoas que tiveram a sorte de escapar de formas inusitadas de situações como estas.


Dica 1: Jogue o carro contra PMs

No Rio de Janeiro, um empresário vítima de sequestro relâmpago, jogou o carro em cima de uma viatura de PMs para chamar a atenção. Assim que o empresário parou o carro, os bandidos assustados tentaram fugir a pé, mas um deles foi preso pelos policiais.


Dica 2: Pare na porta do Quartel da PM

Em Pirambu, um rapaz solicitou uma corrida de taxi para Iparana no Município de Caucaia. Segundo o taxista, no trajeto o assaltante recebeu várias ligações e a cada ligação pedia para o taxista mudar o itinerário. Ao desconfiar da ação do “cliente”, o taxista resolveu parar na porta do Quartel da 3ªCia/5ºBPM e pediu socorro. Ao revistarem o passageiro encontraram uma pistola calibre 380 dentro de uma mochila. O suspeito, que já respondia por um homicídio, foi detido.


Dica 3: Pule do carro em movimento

Quando um casal chegava em casa (Maringá-PR), por volta das 19h, foram abordados por um homem que fazia menção de estar armado.  O marido tinha acabado de descer do carro, e após rendido viu sua esposa ser levada pelo bandido. Minutos após o assalto, a PM recebeu um chamado da PM de Doutor Camargo (36 quilômetros de Maringá), informando que a mulher havia saltado do carro na PR-323. A vítima não teve ferimentos graves.


Dica 4: Cante música sertaneja

Uma mulher sequestrada no Lago Norte (Brasília),  após ser ameaçada com um facão, conduziu o carro e após vários minutos de tensão resolveu usar música para acalmar o sequestrador. Cantaram (a vítima e o sequestrador) a música “Mozão”, do cantor Lucas Lucco, e após alguns minutos a vítima fugiu em um momento de distração do criminoso. 


Dica 5: Finja passar mal

Em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, dois homens foram rendidos por três bandidos, um deles armado com faca.  Quando seguiam pela BR-040 o passageiro de 34 anos fingiu que estava passando mal. O assaltante que estava com a faca acreditou na vítima e mandou-o trocar de lugar, passando para o banco de trás. Neste momento a vítima aproveitou a distração e conseguiu sair do carro e chamar a polícia.


Dica 6: Finja-se de morto

Em São Bento do Sul – SC, os criminosos amarraram as mãos da vítima e o estrangularam, depois o enterraram achando que já estava morto. Quando acordou, Rivair de 47 anos conseguiu se desamarrar, sair do buraco e chamar a polícia.


Dica 7: Simplesmente grite!

Em Itajaí, uma idosa estava sozinha em sua residência. Quando percebeu que havia um estranho dentro do seu terreno ela ligou imediatamente para a PM. Antes da chegada das viaturas o homem invadiu o imóvel. Quando a senhora ficou frente a frente com o ladrão ela deu um grito e o criminoso saiu correndo. PMs cercaram a área mas não conseguiram pegar o acusado, a única coisa que conseguiram recuperar foi uma sanduicheira deixada para trás durante a fuga.


Dica 8: Tenha sorte

Em Pitangueiras (SP) um PM aposentado era um dos clientes de um supermercado que estava sendo assaltado. O PM tentou desarmar um dos assaltantes, mas sem sucesso foi derrubado após uma coronhada na cabeça. Um dos ladrões atirou contra o policial caído mas a arma falhou.  O mesmo assaltante tentou atirar outra vez na cabeça do policial, mas novamente a arma não funcionou.  Os assaltantes fugiram levando R$ 500,00 mas foram capturados logo em seguida pela polícia. O PM passa bem.


Dica 9: Seja filho(a) do Ministro da Justiça

A filha do ministro da Justiça dirigia um carro blindado no Murumbi quando foi cercada por um grupo de criminosos.  A Jovem acelerou o carro e deixou os agentes da Polícia Federal (que a escoltavam) para trás.


Dica 10: Surpreenda-o!

a) Faça cara de mau e pergunte: -Que parada é essa? Quem autorizou você a trabalhar nessa área? Vai assaltar assaltante também? Cadê seu código de ética?
b) Fale alto: - Tá maluco rapaz? Acabei de roubar esse carro, corre que a política já está vindo atrás da gente!
(Ainda não ficamos sabendo de nenhum caso em que esta dica deu certo!)


Claro que em todas estas histórias as vítimas escaparam por uma questão de pura sorte. A melhor forma de agir com segurança é procurar manter a tranquilidade. Fugir, reagir, gritar ou irritar o criminoso pode colocar em risco a vida da vítima e de outras pessoas envolvidas. Confira as dicas do tenente Pedro Luiz, da Polícia Militar de São Paulo e aprenda (de verdade) a como reagir com segurança durante situações como estas:
http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/perguntas_respostas/como-agir-assaltos/como-agir-seguranca-durante-assalto.shtml


Referências:
http://tvuol.uol.com.br/video/homem-joga-carro-contra-pms-para-escapar-de-bandidos-04024D9B3470D8813326 http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2014/05/26/interna_cidadesdf,429421/mulher-escapa-de-sequestro-ao-cantar-musica-sertaneja-para-acalmar-bandido.shtml http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2014/04/10/interna_gerais,517598/vitima-de-sequestro-relampago-finge-passar-mal-e-escapa-de-bandidos-em-contagem.shtml http://maringa.odiario.com/policia/noticia/833888/mulher-e-sequestrada-em-maringa-e-pula-do-carro-para-escapar-de-bandido/ http://www.folhadaregiao.com.br/Materia.php?id=326181 http://www.g17.com.br/ http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2014/02/arma-falha-e-pm-aposentado-escapa-da-morte-durante-assalto-veja-video.html http://ricmais.com.br/sc/seguranca/videos/idosa-grita-e-escapa-de-assalto-em-residencia-em-itajai/ http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/policia/taxista-escapa-de-assalto-ao-desconfiar-do-passageiro-1.446544 http://www.dcomercio.com.br/2014/05/29/filha-do-ministro-da-justica-escapa-de-assalto-em-sp

Gestão do tempo: como ganhar mais tempo e ser mais produtivo?


O dia tem para todos 24h, ou 1440 minutos, ou 86.400 segundos. Se o tempo é o mesmo para todos por que alguns se destacam profissionalmente e ainda conseguem desfrutar de tempo livre de qualidade enquanto outros se atrapalham com inúmeros afazeres e quase nada produzem? A resposta está em como as pessoas administram o tempo que tem disponível. Como não podemos expandir o tempo, devemos utilizá-lo com inteligência, aproveitando-o da melhor forma.  

O problema começa na infância, pois não somos treinados para lidar com coisas importantes como tempo e dinheiro. A consequência disto é que quando temos tempo ou dinheiro disponível os desperdiçamos por falta de conhecimentos básicos de gestão. Nossa cultura também não ajuda nesta questão. Os limites não são bem vistos aqui no Brasil, seja limite de tempo, de dinheiro, de espaço, de diretos e deveres. A gestão do tempo está intimamente ligada à questão do respeito aos limites. Vivemos em uma “cultura de extravagâncias” em que um real ou um minuto não importam, o que nos faz deixar nosso tempo e riquezas escorregarem de nossas mãos como goteiras caem de torneiras danificadas.  Os que conseguem alcançar êxito nestas áreas  são aqueles que valorizam cada centavo,  cada segundo, pois sabem que por meio do somatório de pequenas partes é que se forma o todo. Por que temos que desperdiçar apenas porque temos mais? Se continuarmos nesse pensamento inevitavelmente alcançaremos o fracasso!

São inúmeros os benefícios do uso correto do tempo: você pode contemplar todas as áreas importantes de sua vida, mantendo uma vida saudável em todos os sentidos; pode fazer as coisas que precisam ser feitas de forma eficiente e eficaz, cumprindo seus objetivos de curto, médio e longo prazo; pode usufruir de tempo para lazer, e para se dedicar ao que é mais importante na vida.  Com  mais tempo disponível você poderá: repousar e pensar na vida, ou em nada, puro ócio; escrever um livro; conversar com as pessoas; pensar em questões estratégicas; viajar e conhecer novos lugares e pessoas; participar de eventos; estudar o que sua curiosidade lhe instiga; passar mais tempo com a família; dentre outras coisas.

Você prefere uma vida abarrotada de atividades e poucas realizações ou uma vida com foco, resultados e tempo gasto no que realmente importa? Esta escolha só depende de você, opte por ganhar tempo e ser mais produtivo.

Queremos te ajudar nesta caminhada, para tanto publicaremos regularmente matérias e dicas de como administrar seu tempo e dinheiro. Cadastre-se agora mesmo no Melhor a Cada Dia e ande conosco rumo à realização profissional e pessoal. 

Acesse agora mesmo outras matérias sobre Gestão do Tempo